Scroll to Top

Hospital Psiquiátrico Itupeva apoia Qualificação Profissional e Outras Terapêuticas Compostas em um Plano de Tratamento Individual

Por William Camargo / Publicado quarta-feira, 08 jun 2016 09:58 AM /

O tratamento das doenças psiquiátricas vem incorporando, ao longo das últimas décadas, novas práticas e modelos terapêuticos fortemente estimulados pelos debates em torno à reforma psiquiátrica em pauta no Brasil e no mundo, resultando em benefícios que transcendem em muito a esfera da medicina e rompem ultrapassados estigmas para milhares de pacientes e suas famílias, bem como para a sociedade em geral.

O Hospital Psiquiátrico Itupeva, instituição que contabiliza mais de 30 anos de experiência atendendo pacientes jovens e adultos de ambos os sexos, apoia este movimento, disponibilizando a cada paciente um Plano de Tratamento Individual que inclui diversas terapêuticas resultantes de um esforço verdadeiramente multidisciplinar e humanizado.

Contando com uma equipe formada por médicos psiquiatras e clínico geral, fisioterapeuta, nutricionista, psicólogo, terapeuta ocupacional, advogado, assistente social, farmacêutico e monitores recreativos, a unidade hospitalar promove a realização de diversos projetos, tais como a “Oficina de Artes” e a “Oficina do Saber”, ambas as iniciativas com foco artístico-literário, ou o projetos “Hábito Saudável” e “Fábrica de Ideias”, buscando promover a participação do público atendido na idealização de propostas que possam tornar agradáveis e produtivos o ambiente e o convívio durante o período de tratamento.

Nesta esteira, o Hospital Psiquiátrico Itupeva lançou em 2016 o “Projeto Aprendiz”, por meio do qual são facilitadas, aos pacientes, ferramentas que podem viabilizar uma eventual inserção no mercado de trabalho quando concluído o tratamento. O projeto inclui cursos modulares independentes, de três meses de duração cada, versando sobre temas selecionados pelo grupo de forma participativa, sendo que em março último concluiu-se a etapa “Oficina de Bikes” e atualmente uma nova turma cursa o módulo “Oficina de Cabelo e Maquiagem”. Já estão previstas uma “Oficina de Corte e Costura” e uma “Oficina de Borracharia e Funilaria Automotiva”.

O estímulo recebido pelos pacientes no marco do Projeto Aprendiz demonstrou rapidamente resultados extremamente positivos, abrindo um horizonte de possibilidades a quem já havia perdido completamente a esperança de uma vida saudável, produtiva e feliz”, afirma Dr. Helio Michelini Pellaes Neto, Diretor Institucional do Hospital Psiquiátrico Itupeva. “Ao final de cada módulo, todos os pacientes, agora alunos, recebem um Certificado de Conclusão, em muitos casos o único que receberam até este momento, e o fortalecimento da sua autoestima é transparente e incrivelmente gratificante”, completa o Diretor.

Recreação no Hospital Psiquiátrico Itupeva, tanto para pacientes quanto para os familiares
Recreação no Hospital Psiquiátrico Itupeva, tanto para pacientes quanto para os familiares – Foto: William Camargo/Folha Paulistana

Iniciativas como o “Projeto Aprendiz”, somadas ao esforço de qualificação profissional implementado no marco do Centro de Estudos em Saúde Mental do Hospital Psiquiátrico Itupeva, têm transformado a unidade hospitalar em um ambiente de contínua reflexão acerca do avanço das doenças mentais e das melhores práticas empreendidas em seu tratamento no país e no mundo.

Temáticas como “O papel da família no tratamento do doente mental”, “As drogas lícitas e ilícitas”, “O uso das artes como ferramenta terapêutica”, “Internações compulsórias e psiquiatria forense” foram tratadas em palestras que contaram com a participação massiva do quadro profissional do Hospital Psiquiátrico Itupeva, bem como de convidados de diversas cidades e instituições parceiras. Desta forma, destaca o Dr. Ricardo Biz, Coordenador do Centro de Estudos em Saúde Mental do Hospital Psiquiátrico Itupeva, “buscamos melhorar a qualidade dos serviços que disponibilizamos à sociedade, bem como contribuímos para a sensibilização e conscientização acerca de males que afligem uma parcela muito grande da população na atualidade”.

Segundo dados recentes da Associação Brasileira de Psiquiatria, cerca de 21% da população mundial enfrenta algum tipo de problema psiquiátrico ou neurológico. Tais distúrbios e doenças na América Latina tendem a ser ainda mais frequentes, pelo fato de que a qualidade e a efetividade do tratamento, como também as comorbidades, não são suficientemente estudadas. Na região metropolitana de São Paulo, por exemplo, 29,6% da população apresenta transtorno mental com grau moderado ou grave.

A ESTRUTURA FÍSICA

Estabelecido em uma área de aproximadamente 10.000m2, o Hospital Psiquiátrico Itupeva atualmente disponibiliza 74 leitos, dos quais 31 são destinados a pacientes menores de 18 anos de idade (jovens e adolescentes), em uma ala reservada para meninos e outra para meninas, sendo ambas separadas daquelas destinadas aos pacientes adultos, em total de 43 leitos, igualmente separados em um ambiente masculino e outro feminino.

O Hospital conta com piscina, quadra poliesportiva, sala para terapia ocupacional, salão de jogos, salas de TV, salão de convivência para pacientes, salão externo e quiosque para convivência de familiares, salas de reunião com familiares, além de monitoramento 24 horas por circuito interno de câmeras e TV, possuindo, ainda, uma ambulância própria para remoção de pacientes em situações extra-hospitalares.

Após a alta médica, os pacientes são orientados a continuar o tratamento em ambulatório. Para operacionalizar essa continuidade, o Hospital conta com o suporte de Unidade de Apoio estabelecida na cidade de São Paulo, onde se desenvolvem o atendimento ambulatorial e psicoterápico, dando seguimento à recuperação dos pacientes e facilitando sua adequação ao meio familiar e social.

Segundo afirma o Gerente do Hospital Psiquiátrico Itupeva, Enf. Igor Munhoz Militão da Silva, “através desta estrutura de atendimento integral à saúde mental, temos obtido melhores resultados e reduzido o tempo médio de internação para todas as patologias, concretizando o grande desafio imposto à realidade atual, qual seja o de viabilizar atendimento a portadores de distúrbios de ordem psiquiátrica ou decorrentes de dependência química no menor espaço de tempo possível”.

Da Assessoria de Imprensa do Hospital Psiquiátrico Itupeva
Edição final: William Camargo/Folha Paulistana